AABB Comunidade Pedro Leopoldo inova em seu método de aprendiz

Bastante inspirados, os educandos do AABB Comunidade Pedro Leopoldo (MG) aproveitam as oficinas literárias promovidas durante o ano para desenvolverem a criatividade. As aulas, proferidas pela educadora Virgínia Marcelino, incentivam as crianças a usarem a imaginação na produção de poesias e poemas em estilo livre.

O resultado das oficinas foi inovador. Dois textos de educandos do Programa AABB Comunidade foram selecionados pela Casa Sol, empresa de embalagens, em um de seus concursos de poesia com tema “pão”. A iniciativa foi aberta a todas as escolas do Estado de Minas Gerais. Os melhores textos serão divulgados em embalagens de pão.

A coordenadora do AABB Comunidade Pedro Leopoldo, Marta Sílvia, diz que a idéia principal da oficina é chamar a atenção dos educandos para a importância de saber ler e escrever bem. “Os textos são produzidos com o acompanhamento das educadoras e é uma grande satisfação ter dois textos de nossas crianças selecionados e divulgados nas sacolas [de pão]. Este é, com certeza, um grande incentivo”, destaca.

As embalagens estampadas com as poesias serão vendidas pela Casa Sol às padarias do Estado. As meninas vencedoras do concurso ganharão um vale- compras no valor de R$ 30,00.

Confira as poesias vencedoras:

 

O PÃOZINHO

Muito prazer, sou o pãozinho!

E te alimento também.

Fico bem torradinho;

Quem é que não sabe o sabor que tem?

Se você crescer um pouquinho,

O mérito, eu sei, cabe a mim também.

Se quiser, me chama,

Te darei pão com salame!

E a mortadela?

Branca, rosa e bela.

Num pãozinho quente,

Junto com a mussarela.

Continuando o assunto,

Te darei presunto.

O meu destino, bem sei,

Depois de estar bem torrado,

Fritinho ou assado,

Eu partirei com a turma ao lado

E serei saboreado!

Educanda: Larisse Lygia Sorrentino dos Santos, 9 anos.

O DESEJO

Primeiro padeiro que vejo…

Dá-me tudo que desejo!

Eu só quero pão de queijo,

Prá satisfazer meu desejo.

Diz até logo ao padeiro,

Desce aqui na minha rua,

Vem vender pão de queijo,

Prá matar o meu desejo.

E, quando chegar a hora

De vender pão toda hora,

Leva contigo uma rosa

E deixa prá mim, uma broa gostosa.

Guarde a flor como lembrança

Do meu amor de criança.

E assim, padeirinho amado,

Sempre traz pão assado.

Educandas: Bruna Maysa Rodrugues Fraga, 8 anos; Larisse Lygia Sorrentino dos Santos, 9 anos; Cinthia dos Anjos Diniz, 13 anos.

As poesias também estão dispostas no blog: www.euamopão.zip.net.   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Desenvolvido por Craque Comunicação