Hip-hop como forma de expressão

O Programa AABB Comunidade Vitória da Conquista (BA) desenvolve, desde o início do ano, o Projeto Hip-hop. As discussões de temas como violência, sexualidade, desigualdade social e preconceito racial são abordados por meio dos elementos do movimento cultural, o rap, break, grafite e o basquete de rua.

 

No planejamento bimestral, cada elemento do estilo ganhou destaque nas turmas. Nas encenações, geralmente realizadas durante as comemorações do AABB Comunidade, são apresentados os pontos positivos e negativos. Os educandos protestam a realidade opressora da sociedade e, ao mesmo tempo, mostram como é a vida de pessoas que sofrem influência de grupos que fazem apologia à violência e ao uso de drogas.

 

Dento dos trabalhos já desenvolvidos, estão aulas de grafite e oficina de trança. O basquete de rua e o break, assim como todas as outras atividades, estarão presentes nos encontros do Projeto até o fim do ano.

 

Quem dá mais?

 

O bazar do AABB Comunidade Vitória da Conquista, realizado no dia 5 de outubro, animou os pais dos educandos com um leilão das peças. O evento foi promovido com o intuito de arrecadar fundos para um passeio com o grupo de adolescentes do Programa.

 

Segundo a coordenadora do AABB Comunidade, Maristela Viana, os educadores mostraram que são bons comerciantes e os pais que são consumidores conscientes e exigentes. “Mais uma vez o Programa deixou evidente o objetivo de integrar ainda mais os pais com as atividades desenvolvidas aqui”, comenta.

 

Palestra sobre a maioridade penal

 

O Programa AABB Comunidade Vitória da Conquista, realizou no dia 6 de julho, uma palestra sobre a maioridade penal com o advogado da cidade Carlos Públio. Segundo a lei, a maioridade penal é quando um jovem passa a responder inteiramente por seus atos, como cidadão adulto, de acordo com o Código Penal. Um menor é julgado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

 

Tendo em vista a necessidade de ampliar esse debate, o Programa contou com a presença de todos os grupos da Rede de Atenção à Criança e ao Adolescente do município. Na oportunidade, foi enfatizada a importância da criação do ECA. Segundo o advogado, foi uma mudança pioneira e muito importante no que diz respeito à promoção e defesa dos direitos da criança e do adolescente. “Uma legislação existente que precisa sair do papel e ser discutida no dia-a-dia das nossas comunidades”, declara Carlos Públio.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
Facebook
Facebook

Desenvolvido por Craque Comunicação